Estilo de Vida

ENTREVISTA | Ariadne Decker

2 de outubro de 2014

Ariadne Decker em 5 perguntas!

Dificuldades nunca foram empecilho para Ariadne. As mudanças constantes na infância e o incêndio que destruiu sua casa em Novo Hamburgo não conseguiram apagar nenhuma lembrança de felicidade. E é este sentimento de felicidade em cada detalhe que a ajudam a reunir a força necessária para fazer e viver de arte!

Conheça um pouco mais desta incrível artista no nosso bate papo em 5 perguntas!

DSC_1441pDSC_1418DSC_1403

1. Como foi sua infância e adolescência? O que gostava de fazer? Minha infância foi surpreendentemente feliz. Digo surpreendente porque, apesar de tudo, fui sempre muito feliz, cercada de muito amor. Meu pai é oficial da marinha e por isso no início da minha infância morei no Rio de Janeiro, em Belém do Pará, dentro do Navio Cidade de Belém (onde nasceu minha irmã Magali) e, depois da separação dos meus pais, em Novo Hamburgo. Eu tinha 5 anos e só voltei a ver meu pai aos doze e aos dezoito anos, de passagem.

Morei no centro de Novo Hamburgo, na rua Domingos de Almeida esquina com Bento Gonçalves. A casa foi destruída por um incêndio com tudo que tínhamos. Eu e meus irmãos Alexandre e Magali (Megui) fomos morar com meus avós maternos, na Vila Iguaçu, enquanto minha mãe trabalhava como locutora das rádios Progresso em Novo Hamburgo, rádio e TV Piratini em Porto Alegre e, fazendo artesanato, reconstruía nossa vida.

Tive uma infância com muitas dificuldades financeiras, vendíamos peixinhos de aquário, ramos de trigo e as flores artesanais que minha mãe produzia, de casa em casa. Apesar de tudo, minha mãe sempre acreditou que uma boa formação poderia nos dar um futuro melhor. Com 7 anos de idade comecei a frequentar a Escolinha de Artes do Instituto de Belas Artes com a Prof. Lígia Bohn.  Cursei o 2º grau Técnico em Decoração, fui sócia-fundadora do clube de artes da escola, presidente do Grêmio Estudantil duas vezes, atleta de basquete e handebol. Sempre gostei de dançar e de desenhar, muito.

Fui uma adolescente normal e muito, muito ocupada. Ainda fazia artesanato (bonecos de pano, móbiles para quarto de criança, decoração de festas, pintura em cerâmica e porcelana). Em 1977, fui inscrita pela escola em um concurso de currículo e ganhei o Prêmio Jovem Cidadão da América Latina.

2. Em que momento você teve certeza de que seu trabalho seria artes plásticas? Na hora da inscrição no vestibular, me inscrevi no curso de Belas Artes da FEEVALE. Sempre gostei de desenhar,  participei de exposições, concursos e salões, reuniões de artistas no Movimento Cavalo Azul e Casa-Velha. Ganhei prêmios e as oportunidades foram aparecendo. A vida me mostrou o caminho das Artes.

3. Você tem seu atelier em casa, onde dá aula de pintura para crianças, recebe seus amigos e familiares… o que mais te deixa feliz? Dou aulas de desenho e pintura no meu atelier, aqui em casa. Tenho alunos de 12 a 60… anos. O atendimento é individualizado, então consigo trabalhar de acordo com o interesse de cada um. O prazer de desenhar faz parte do aprendizado. Tenho dois filhos maravilhosos, Rafael (35) e Eduardo(25).  O Eduardo mora comigo, meu marido Clóvis e meus três Akitas- Aiko, Hanna e Itoshi. Fico feliz com um encontro em família, um encontro de amigos, um bom bate-papo, um dia de sol…

4. Como é sua rotina de trabalho? Dou aulas, faço os desenhos da Popinha, estou executando um projeto de Clube de artes com a EMEF Maria Quitéria dentro do + Cultura na Educação do MINC. No restante do tempo tenho que organizar os demais projetos. Quanto a pintura, me dedico a ela sempre que tenho tempo. Prefiro a madrugada por ser mais tranquila e poder trabalhar mais horas seguidas e nestes momentos gosto de ouvir algo mesmo que seja apenas a TV.

5. Quais seus projetos futuros? Tenho um site na internet para pesquisa sobre o meu trabalho:www.ariadnedecker.com.br e estou lançando a loja virtual: www.ariadnedecker.com. Lá estou colocando quadros originais, reproduções e produtos com reproduções de minhas obras à venda, com diversas formas de pagamento, por cartão de crédito e pague seguro. Aos poucos vou abastecer a loja. Para 2015, farei algumas exposições, entre elas, Porto Alegre, Rio de Janeiro; um livro sobre meus mais de trinta anos de carreira, entre outros.

Fotos: Mani Becker

Você pode gostar também