Cultura, Moda

Arte, moda, gostos

29 de maio de 2015

 

Não basta apenas usar um ou outro sentido para interagir com a arte e com a moda.

Além do toque e da visão, como é possível atingir as pessoas e provocar sensações que lembrem aquelas sentidas por outros orgãos?

Como por exemplo: como seria o toque de alguma coisa azeda? Ou doce?

Touch-That-Taste-Blanket_800

Touch-That-Taste-Carpet-2_800

Touch-That-Taste-Pouf-2_800

Touch-That-Taste-Shoes_800

Foi aí que uma designer dinamarquesa, Martyna Barbara Golik, desenvolveu um experimento sinestésico, onde as pessoas eram convidadas a provar diferentes tipos de comida e descrever as sensações através de representações visuais e táteis.

Do experimento surgiu uma instalação que utiliza diversos materiais que representam, de forma tátil e visual, o gosto das coisas.

O amargo, por exemplo, foi imaginado como um chinelo macio e pesado, ao mesmo tempo. O azedo foi traduzido como um cobertor de lã com toque de borracha grudenta. O sabor doce foi representado por um pouf macio que vai se moldando ao seu corpo à medida em que você senta ou abraça ele.

É muito interessante imaginar como seria “tocar” o sabor salgado, sentir com o corpo o gosto do doce. É um convite a novas e divertidas experiências que abrem nossa mente.

Já que não temos como fazer isso por aqui, a designer disponibilizou um vídeo mostrando a interação com as peças.

Confira:

 

Fotos: Andreas Omvik

Você pode gostar também