Reflexão

REFLEXÃO | DIA DOS AVÓS – DESESTOCANDO O AFETO, por Cris Manfro

26 de julho de 2017

Engana-se quem diz que ser avó é muito bom porque só fica com a parte boa e a preocupação fica com os filhos. Não é verdade. A preocupação é dupla: com os filhos e com os netos. Engana-se quem pensa que a ansiedade diminui. Mas, calma! Em contra partida as realizações duplicam também. Você revive as experiências já vividas como a primeira ida a escola, as apresentações de balé e judô, as primeiras medalhas, o colocar o aparelho nos dentes, e os primeiros amores. Sim, as avós e avôs sofrem junto com os netos com os primeiros amores. Aconselham, acolhem, dão suporte e dão amor. Da mesma forma que não gostariam que seus filhos sofressem certas coisas comuns da vida, também não gostariam de ver seus netos sofrerem.

Hoje as avós estão muito longe daquelas de antigamente. Longe dos vestidos floriadinhos até o joelho, usam jeans e mini-saia. Usam seus terninhos como grandes empresárias, médicas, advogadas e atuantes em todas as profissões que são. Vão ao show das bandas pop com seus netos, quando não vão junto surfar. Sim avós hoje surfam com seus netos. Destemidas muitas estão a frente das suas famílias. Algumas no segundo ou terceiro casamento, mas sem deixar de seus papéis de mães e avós.  Passam uma mensagem diferente da acomodação de antigamente. Passam a mensagem de movimento eterno da vida.

Ser avô ou avó como bem dizia Afonso Romano de Santana é a grande oportunidade de desestocar o afeto que por algum motivo não pode ser exercido com os filhos. Essa ideia de desestocar amor, carinho, presença, vivências me encanta. Esse afeto todo guardado que não pode por algum motivo ser exercido com os filhos não pode morrer conosco.  Deve ser atuado na forma de proteção, de auxílio, de rede de apoio para os filhos e netos, como porto seguro, como doçura, mas também como disciplina quando por algum motivo os pais estiverem falhando. Às vezes os pais estão tão atrapalhados nas suas coisas que os avós precisam atuar.

Na verdade, ser avó e avô é ter e ser tudo duplo. Emoções, preocupações, vivências e realizações. Desestoquem afeto a vontade. Afeto não pode morrer conosco. Tenha muitas histórias com seus netos e assim, você alcançará a imortalidade dentro do coração daqueles que te querem bem.

Você pode gostar também