Reflexão, Saúde & Bem-estar

REFLEXÃO |TER QUE SER FELIZ, POR CRIS MANFRO

7 de dezembro de 2017

Falava com uma querida amiga e ela me diz: “nossa! Ser feliz cansa”.

Bem, tenho que corrigir: ter que ser feliz é que cansa.  A diferença está no “ter que ser”! Não tem nada melhor do que, no dia em que você não está feliz, simplesmente poder não estar feliz. No dia em que você não está bem, não estar bem.  No dia em que você está triste ter o direito e aquela sensação de “só hoje me deixem morrer”.  Nada melhor do que você ter direito a dias ruins e a dias profundamente infelizes.  Aqueles dias onde você deveria estar fechado para balanço…e ser perdidamente infeliz.

Mas, a gente vive certa obrigação social que diz: “você tem que estar ou pelo menos parecer feliz”.  De acordo com o faceboock todos são e estão felizes e você não?  Como é que não?  Ah!  Isso sim cansa, e como cansa.  Eu até digo que é um grande causador de stress.  Cansa pensar que você tenha que estar feliz, mesmo que o mundo tenha caído na sua cabeça.  Cansa exigir que você esteja se sentindo bem sucedido, que você já tem um amor, que já tenha que estar colhendo os frutos de sua competência.

Ter que ser feliz cansa, sim!  Todo mundo se sente obrigado a procurar a cena de felicidade ideal. Não aprendemos nem com os históricos dos doentes de câncer provocados pelas propagandas de cigarro enganosas que pregavam que para sermos felizes e bem sucedidos deveríamos fumar.  E hoje o que é preciso para parecer feliz?  Ter dinheiro, roupas de marcas bem caras, Iphone?  Casa na serra ou no mar?  Ter muitas mulheres?  Muitos homens?  Contar sobre as grandes experiências e peripécias do sexo?  O “ter que ser” acaba não oportunizando a permissão para estarmos mal.

A permissão para se estar mal pode gerar um grande alívio.  O poder estar infeliz, nem que seja por um momento, um período ou um dia, acreditem, pode ser reconfortante.

Mas quem se permite? Quem dá essa permissão?

É engraçado dizer, mas somos atropelados pela cultura da felicidade.  As mulheres-maravilhas de hoje e os super-homens modernos pioraram neste aspecto. Ser feliz de certa forma virou artigo de consumo e não emoção e sentimento.  Se você quer ser feliz terá que se dar o direito a estar ou se sentir, em determinados momentos, muito infeliz.  Talvez por isso muitas vezes ela, a felicidade, pareça estar tão longe, parecendo nunca chegar de verdade.

Você pode gostar também