Estilo de Vida

Você sabe o que é (ou quem é) perennial?

15 de outubro de 2019

O termo apareceu pela primeira vez em 2016, quando a empreendedora norte-americana Gina Pell, publicou um artigo em seu website falando sobre um novo estilo de vida idade não importa. 

A palavra perennial designa mais um tipo de comportamento global do que uma geração em específico. Para Gina e outros estudiosos, este comportamento é definido por uma pergunta que os indivíduos pertencentes a este grupo se fazem: “o que mais aguça minha curiosidade?”

A antropóloga carioca Hilaine Yaccoub acrescenta: “Quem puxa a fila são as mulheres acima dos 40. Quando chegam a essa idade, alcançam um grau de maturidade em que a aprovação dos outros deixa de ser imprescindível. Elas ficam mais leves, mais donas de si e bancam suas escolhas, mesmo que discordem da maioria”.

Em 2017, a SuperHuman, agência de marketing britânica especializada no público feminino, identificou uma tendência que já é muito presente na prática: tornou-se ultrapassada entre as mulheres a ideia de meia-idade. Mais de 500 mulheres acima de 40 anos foram ouvidas no Reino Unido, e os resultados indicaram que dois terços delas crêem estar no auge da vida, enquanto 67% declararam se sentir mais confiantes do que há dez anos e 84% defendem que a idade não pode defini-las. 

Um recente levantamento no Rio Grande do Sul sobre a quantidade de mulheres acima dos 50 anos que tiram a primeira habilitação confirma a força dos perennials (Diário Gaúcho, 2016). Em cinco anos, o número de habilitadas nessa faixa etária subiu 40%, como demonstrado no quadro a seguir: 

  • 2010 – 295 mil novas habilitações por pessoas 50+
  • 2014 – 389 mil novas habilitações por pessoas 50+
  • 2015 – 415 mil novas habilitações por pessoas 50+

Mas o que torna esses “cinquentões” tão produtivos e bem-sucedidos no trabalho? Melhores cuidados com a saúde e maior escolaridade são frequentemente apontados como alguns dos principais motivos. Além disso, as profissões modernas envolvem atividades mais intelectuais e menos físicas, graças à automação e aos novos recursos tecnológicos disponíveis.

A Inteligência Emocional (IE) é outra razão importante, tendo em vista que a maioria das profissões exige, além de capacitações técnicas, um bom nível de IE.

Este estilo de vida “atemporal” tem reflexos diretos na beleza. Maduras e seguras, as mulheres perennials estão mais preocupadas com tratamentos preventivos do que com reparadores. Elas procuram procedimentos estéticos menos invasivos e querem envelhecer de forma harmônica, ao contrário das gerações anteriores, que recorriam a cirurgias plásticas de forma excessiva.

As mulheres perennials são provas vivas de que os 50 são os novos 40, os 40 são os novos 30 e por aí vai.

Você pode gostar também